Marilia destaque

Formada em direito é feliz por viver de artesanato. Conheça essa linda história

Marilia Fernandes de OliveiraSou Marilia Fernandes de Oliveira, tenho 29 anos, solteira, de Abre Campo-MG. Há 15 anos resido em Viçosa, tenho dois filhos de quatro patas, o Duque e a Espoleta.

Sempre gostei de brincar com linhas, tesouras, pedaços de tecido. Também tinha a quem puxar, minha avó materna costurava e minha mãe sempre gostou de trabalhos manuais, principalmente a pintura. Aos 16 anos de idade, aproximadamente, aprendi a tecer o macramê. Pra mim é o trabalho manual mais fácil, pois sempre tive dificuldades em usar a agulha de crochê.  Durante um período fiz para algumas vizinhas os barrados em toalhas. Depois aprendi a fazer o bordado em ponto russo, mas nunca pensei que fosse tirar dessa atividade os meus recursos financeiros.

O tempo passou, completei o ensino médio e logo depois iniciei a graduação e hoje sou bacharel em Direito. Quando me formei, só tinha uma certeza, não queria advogar. Fiquei por alguns anos me preparando para concurso público onde almejava a tão sonhada estabilidade, e pensava que só após a aprovação seria uma mulher realizada. É um caminho árduo, sofri muito nessa fase pois tinha a cobrança da família pela aprovação e eu mesma me cobrava muito, principalmente pela questão financeira. Não é nada bom você se formar e ainda depender financeiramente dos pais. Com isso eu me perguntava todos os dias se era aquilo mesmo que eu queria, precisava de uma solução rápida.

Marilia Fernandes de Oliveira pano de pratoNessa época ficava extremamente nervosa para fazer provas, não dormia, não me alimentava direito, vivia dopada. Passei por alguns problemas e do dia para a noite resolvi colocar de lado o projeto de ser servidora pública e dar um novo rumo a minha vida, fazer o que sempre gostei: trabalhos manuais. Juntei algumas fotos que tinha de alguns trabalhos antigos, comecei a divulgar nos classificados da cidade, nos grupos de artesanato e logo começaram a surgir as primeiras encomendas. A minha mãe, como sabia pintar, ficou desde o primeiro dia responsável pelas pinturas em tecido. Com poucos dias ganhei uma máquina de costura para ajudar nos trabalhos, criei uma página no Facebook onde tudo que fazíamos postava as fotos de forma que mais pessoas tomassem conhecimento do nosso trabalho.

Atualmente vivo do artesanato, faço os bordados em ponto russo, barrados em macramê, decoração em caixas de MDF e por enquanto só a minha mãe faz as pinturas em tecido, mas quero muito aprender, nesse período fomos crescendo e aperfeiçoando a cada trabalho.

 

Marilia Fernandes de Oliveira pano de prato corujaSe você me perguntar se estou arrependida de ter abandonado um projeto de anos a resposta é não. Hoje tenho orgulho de dizer que sou artesã, trabalho com as mãos e com o coração, isso é arte e não tem nada melhor que ver um trabalho concluído, as pessoas satisfeitas com as peças. Amo o que faço. E quem sabe um dia ainda consiga mostrar o meu trabalho em macramê para os programas de artesanato na TV, um sonho.

Essa é minha história de forma bem resumida, mas que sirva de apoio a todos aqueles que pensam em seguir no ramo das artes, vale a pena se você ama o que faz. Determinação e muita força de vontade que você consegue.

Contato

https://www.facebook.com/mariliafo

https://www.facebook.com/mariliaecidaartes

Comments

2 respostas
  1. Rosa
    Rosa says:

    É muito bom saber que há chance de vender o que fazemos. Tenho muita dificuldade em promover isso. Fiquei feliz e emocionada com sua história e queria saber como foi com a família quando comentou sobre sua decisão.
    Abraços

    Responder
    • Crica Marques
      Crica Marques says:

      Rosa, enfreitei muitos obstáculos sim, mas hoje todos superados, com amor, persistência você vai mostrando que o artesanato é uma profissão rentável. obrigada por seu depoimento. abraços. 

      Responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *